Milhares de pessoas apoiam autoproclamação da oposição no Quênia

Nairóbi, 10 ago (EFE).- Milhares de pessoas saíram nesta quinta-feira às ruas em diferentes cidades do Quênia para apoiar a coalizão opositora, que esta tarde exigiu da comissão eleitoral que a declare vencedora das eleições de terça-feira, apesar dos dados oficiais apontarem como ganhador o presidente do país, Uhuru Kenyatta.

Minutos depois da exigência pública da Super Aliança Nacional, milhares de cidadãos tomaram de forma pacífica as ruas dos principais subúrbios de Nairóbi, como Mathare e Kibera, onde foi montada uma operação policial, informou a imprensa local.

"Uhuru deve ir embora. Não se pode viver com um presidente que utiliza a força excessiva contra os cidadãos", protestou Linda em declarações à Agencia Efe.

Entre danças, cântico e gritos de "Fora Uhuru" ou "Sem Raila não há paz", os moradores deste bairro comemoraram a proclamação da Nasa, ao mesmo tempo que dezenas de agentes começaram a se posicionar na região, que era sobrevoada por um helicóptero.

"Se tivermos que morrer, morreremos. Porque já estamos mortos, estamos sofrendo cinco anos com desemprego, aumento dos preços dos alimentos... Não podemos ficar assim mais cinco anos", disse à Efe um grupo de jovens de Mathare, onde ontem dois manifestantes morreram após disparos da Polícia.

Também em Kibera, o maior bairro de favelas do país e um dos redutos da oposição, os moradores saíram às ruas com bandeiras do candidato opositor Raila Odinga e montaram barricadas, preparando-se para uma possível operação policial.

Na localidade de Kisumu, segundo meios locais, uma grande multidão também mostrou seu apoio à oposição, repetindo as mesmas palavras de ordem que pedem a saída do atual presidente.

A Super Aliança Nacional assegurou esta tarde que os resultados divulgados até agora pela Comissão Eleitoral - que dão a vitória a Kenyatta - são fraudulentos e baseados em um pirateamento do sistema.

"Pedimos à Comissão Eleitoral que declare formalmente Raila Odinga presidente do país", afirmou o porta-voz da coalizão, Musalia Mudavadi.

Segundo assegurou, uma fonte interna da Comissão Eleitoral, cuja identidade não revelou por motivos de segurança, lhes transmitiu que Odinga tem, atualmente, 8,4 milhões de votos contra 7,7 milhões de Kenyatta.

Em 2007, Raila Odinga também rejeitou os resultados das eleições que perdeu, o que derivou em uma onda de violência na qual morreram mais de 1.100 pessoas no país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos