Lavrov considera alto o risco de combate militar entre EUA e Corei do Norte

Moscou, 11 ago (EFE).- O ministro de Exteriores russo, Sergey Lavrov, disse nesta sexta-feira que é "muito alto" o risco de um confronto militar entre os Estados Unidos e Coreia do Norte, e lembrou que Moscou se opõe terminantemente ao armamento nuclear de Pyongyang.

"Considero que o risco é muito alto. Especialmente levando em conta a atual retórica: soam claras ameaças do uso da força", disse Lavrov segundo meios de comunicação locais.

Lavrov, que lembrou "a Coreia do Norte diz que tem direito a fabricar armas nucleares e que inclusive já as tem", reconheceu que Moscou está "muito preocupada" pelas ameaças de Washington de um possível ataque preventivo e as agressivas respostas de Pyongyang.

"Os comentários (nos EUA) sobre que é preciso realizar um ataque preventivo à Coreia do Norte e as afirmações desde Pyongyang que é preciso atacar a ilha de Guam não param e isso algo é que nos preocupa muito", apontou.

O chefe da diplomacia russa afirmou que fará todo o possível para evitar um conflito e pediu que Washington dê o primeiro passo para rebaixar a tensão.

"Opino que quando a situação desemboca praticamente em uma briga, quem deve dar o primeiro passo para se afastar dessa perigosa linha é o mais forte e astuto", ou seja, os Estados Unidos, apontou.

Lavrov ainda lembrou que a Rússia e a China propuseram no começo de julho "um plano muito sensato para um duplo congelamento". Por parte do regime de Kim Jong-un, visando todos os teste de armas nucleares e mísseis balísticos, e para EUA e Coreia do Sul das suas manobras conjuntas em grande escala.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos