Pais são condenados por casar filha de 13 anos com líder de seita mórmon

Toronto (Canadá), 11 ago (EFE).- Os pais de uma menina de 13 anos foram condenados a prisão nesta sexta-feira no Canadá por terem participado do casamento forçado da filha com o líder de uma seita fundamentalista cristã que pratica a poligamia.

Brandon Blackmore, de 71 anos, pai de menina, foi condenado a 1 ano de prisão pelo tráfico de crianças para própositos sexuais. Gail Blackmore, de 60 anos, mãe da jovem, ficará sete meses presa.

Os dois são membros de uma comunidade fundamentalista mórmon no oeste do Canadá e participaram do casamento da filha com o profeta da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Warren Jeffs.

Em fevereiro de 2004, o casal enviou a filha para os Estados Unidos para que ela se casasse com o líder religioso, que na época tinha 49 anos e mais de 80 esposas. Pouco depois da consumação, Jeffs gravou uma relação sexual com a menina em vídeo.

Posteriormente, Jeffs foi condenado a prisão pérpetua nos EUA por outro crime: o estupro de uma menina de 12 anos.

A comunidade de Bountiful, na província de Columbia Britância, é há décadas o expoente da poligamia no Canadá. Seu líder, Winston Blackmore, irmão mais novo de Brandon, se autodenomina bispo da igreja e é pai de 132 crianças.

Winston foi investigado várias vezes pela polícia canadense durante os últimos 30 anos pela poligamia da comunidade, mas as autoridades do país não o acusaram formalmente por dúvidas sobre a constitucionalidade das leis contra a prática no país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos