Sudão do Sul indulta 30 presos políticos perante pressões de ONGs

Juba, 11 ago (EFE).- As autoridades do Sudão do Sul concederam liberdade a 30 presos políticos no marco de um indulto presidencial emitido em março perante pressões de várias ONGs de direitos humanos, informaram nesta sexta-feira fontes oficiais.

A liberdade dos presos, a maioria opositores, "ocorreu sem condições", segundo assegurou o diretor de Assuntos Legais no departamento de Segurança Interior, Jalpan Obech, em declarações emitidas hoje pela televisão estatal.

Entre os indultados estão membros da oposição armada liderada pelo ex-vice-presidente Riek Machar, atualmente sob detenção domiciliar na África do Sul, além de um líder religioso que ficou preso durante três anos em Juba.

Obech assegurou que a maioria dos libertados "é formada por homens que apoiavam a oposição".

O presidente Salva Kiir prometeu que faria um indulto a presos políticos nesta quinta-feira, durante uma reunião com o ministro de Exteriores alemão, Sigmar Gabriel, em Juba.

Os grupos que defendem os direitos humanos, entre eles Anistia Internacional (AI), pressionavam o Governo mediante reiteradas chamadas para conseguir a liberdade dos presos.

Segundo um recente comunicado de AI, centenas de pessoas foram detidas sem acusações e mantidas em condições penosas durante longos períodos de tempo desde que se iniciou o conflito em dezembro de 2013.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos