Trump adverte a Kim que "lamentará rápido" se atacar território dos EUA

Washington, 11 ago (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, advertiu hoje ao líder norte-coreano, Kim Jong-un, que, se atacar a ilha de Guam ou qualquer outro território americano, "lamentará rápido".

"Se fizer algo a respeito de Guam ou a outro lugar que seja território americano ou contra algum aliado dos EUA, lamentará verdadeiramente e lamentará rápido", disse hoje Trump em breves declarações à imprensa no seu clube de golfe de Bedminster, em Nova Jersey.

Trump disse ainda que espera que o líder norte-coreano entenda "a completa gravidade" das suas palavras e indicou que os EUA estão avaliando "com muito cuidado as opções militares".

O presidente americano fez estas declarações após ser perguntado por uma mensagem no Twitter que publicou horas antes com a expressão "locked and loaded", que em inglês se refere a uma pistola carregada e preparada para ser disparada, para descrever os preparativos militares americanos.

"O que disse é o que quero dizer. Assim espero que entendam exatamente o que disse e o significado dessas palavras. Essas palavras são muito, muito fáceis de entender", destacou.

"Este homem não vai sair assim com o que está fazendo", ressaltou Trump, em referência às ameaças do líder norte-coreano de lançar dois mísseis contra a ilha de Guam, território americano e sede de uma estratégica base naval no Pacífico.

Perguntado pela posição da chanceler alemã, Angela Merkel, contrária a uma solução militar ao conflito com a Coreia do Norte, Trump disse que talvez "ela esteja falando pela Alemanha".

"Deixem-na falar pela Alemanha. É amiga minha, é muito boa pessoa, é uma muito boa mulher, é amiga de Ivanka. Talvez esteja se referindo à Alemanha. Certamente não se está referindo aos Estados Unidos, isso posso assegurar", comentou.

Sobre as críticas à sua dura retórica contra a Coreia do Norte, à qual ameaçou com "fogo e fúria" se prosseguir com suas ameaças, Trump atacou quem questiona sua linguagem.

"Os meus críticos dizem isso porque sou eu, se alguém dissesse as mesmas palavras diriam 'que maravilhosa declaração", sustentou.

"Temos dezenas de milhões de pessoas que estão tão felizes com o que estou dizendo, porque finalmente temos um presidente que defende a nação e seus aliados", acrescentou.

Apesar das duras afirmações de Trump, a Casa Branca e o Pentágono descartaram hoje que tenha havido alguma mudança na postura militar americana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos