Colômbia rejeita uso de "medidas militares" na Venezuela

Bogotá, 12 ago (EFE).- O governo da Colômbia rejeitou neste sábado a possibilidade do uso de medidas militares na Venezuela, uma resposta às declarações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre o assunto e na véspera de uma visita ao país do vice-presidente americano, Mike Pence.

"Rejeitamos medidas militares e o uso da força no sistema internacional. Todas as medidas devem ocorrer sobre o respeito da soberania da Venezuela e através de soluções pacíficas", indicou o Ministério de Relações Exteriores da Colômbia em nota.

Ontem, Trump afirmou que considerava uma "opção militar" para resolver a crise na Venezuela.

"Temos muitas opções para a Venezuela, incluindo uma possível opção militar se necessário", disse o presidente americano.

A ameaça ocorreu dias depois de Trump ter chamado o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, de "ditador", um movimento que foi acompanhado por outros países, como o Peru e a Colômbia.

Sem citar diretamente o presidente americano, o governo colombiano afirmou hoje que foi "explícito" na sua condenação à ruptura constitucional na Venezuela.

"Consideramos urgente manter a postura adotada por vários países e as declarações e decisões individuais e coletivas na região para restabelecer as instituições democráticas na Venezuela, tal como fizemos na Declaração de Lima no último dia 8", disse a Chancelaria colombiana no comunicado.

Apesar das dificuldades para conseguir uma saída pacífica e negociada para o fim da crise, o governo da Colômbia disse "continuar acreditando que esse é o caminho adequado para encontrar soluções de longo prazo para o povo venezuelano".

"Fizemos pedidos ao secretário-geral da ONU para que utilize os mecanismos de solução pacífica de controvérsias e bons ofícios para criar as condições requeridas para uma negociação que ponha fim à crise de ruptura democrática na Venezuela", indicou a nota.

A postura da Colômbia contra a opção militar na Venezuela foi anunciada na véspera da visita do vice-presidente dos EUA à Cartagena de Índias. Será a primeira viagem oficial de Pence à América Latina. Ele também passará por Argentina, Chile e Panamá.

Pence vai se reunir com o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, para discutir, entre outros assuntos, a cooperação bilateral e temas como a luta contra as drogas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos