Ex-ministro equatoriano é mandado para a prisão em Quito, diz ministra

Quito, 11 ago (EFE).- O ex-ministro de Hidrocarbonetos do Equador, Carlos Pareja Yannuzzelli, que se entregou nesta sexta-feira à Justiça no aeroporto de Quito, aonde chegou procedente dos Estados Unidos, foi levado para uma prisão na capital do país, informou a ministra da Justiça, Rosana Alvarado.

Alvarado informou através do Twitter sobre a mudança de Pareja Yannuzzelli para a prisão e esclareceu que não foi concedida ao ex-funcionário a prisão domiciliar.

O ex-ministro, que também foi diretor da empresa estatal de petróleo Petroecuador, foi condenado a cinco anos de prisão por crime de corrupção e enfrenta acusações em uma série de casos e, por isso, passou a ser procurado pela Justiça equatoriana.

Pareja Yannuzzelli chegou a Quito acompanhado do presidente da Assembleia Nacional, o governista José Serrano, que assegurou que o ex-funcionário se entregou sem nenhum tipo de condição.

O ex-ministro de Hidrocarbonetos não se pronunciou em sua chegada ao aeroporto, onde era esperado por vários jornalistas, mas as câmeras o captaram cercado de policiais, que o levaram até um veículo e o escoltaram para fora do aeroporto, em um forte dispositivo de segurança.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos