México diz que crise na Venezuela não pode ser resolvida com ações militares

Cidade do México, 12 ago (EFE).- O governo do México indicou neste sábado que a crise na Venezuela não pode ser resolvida com ações militares, em uma referência às declarações feitas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a possibilidade de usar as forças armadas contra o regime de Nicolás Maduro.

"O governo do México expressa sua rejeição ao uso ou à ameaça de uso da força nas relações internacionais, e afirma que a crise na Venezuela não pode ser resolvida através de ações militares, internas ou externas", indicou a Secretaria de Relações Exteriores (SRE) em comunicado.

Além disso, citou que no último dia 8 de agosto, 17 países, entre eles o Brasil, assinaram a Declaração de Lima para condenar a ruptura da ordem democrática na Venezuela e para não reconhecer a instauração da Assembleia Nacional Constituinte.

"Da mesma forma, os países que assinaram a Declaração de Lima rejeitaram de maneira enérgica a violência e o uso da força", completou a nota da Chancelaria mexicana.

O governo do México reiterou no comunicado a Declaração de Lima e disse que seguirá fazendo "todos os esforços diplomáticos possíveis para que se restaure a democracia na Venezuela através de uma solução pacífica e negociada".

Ontem, Trump afirmou que considerava uma "opção militar" para resolver a crise na Venezuela.

"Temos muitas opções para a Venezuela, incluindo uma possível opção militar se necessário", disse o presidente americano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos