Colégios eleitorais abrem para primárias de legislativas na Argentina

Buenos Aires, 13 ago (EFE).- Os colégios eleitorais da Argentina abriram suas portas neste domingo para que os cidadãos elejam nas quartas primárias da história do país os candidatos definitivos para as eleições legislativas do próximo mês de outubro.

Cerca de 33,1 milhões de argentinos estão convocados a votar para definir os habilitados a concorrer nas legislativas de 22 de outubro, nas quais serão renovados um terço (24) dos assentos do Senado e 127 da Câmara de Deputados, aproximadamente a metade.

Essas são as quartas Primárias Abertas Simultâneas e Obrigatórias (PASO) que a Argentina realiza desde a aprovação deste sistema eleitoral, em 2009, que busca dar transparência e democratizar os processos de eleição dos candidatos dos partidos.

São, além disso, as primeiras enfrentadas pelo governo do conservador Mauricio Macri, que chegou à presidência no final de 2015.

Os centros de votação abriram às 8h (mesmo horário de Brasília) e fecharão às 18h30.

O Estado argentino disponibilizou urnas em 14.433 centros de votação em todo o país para eleições que serão monitoradas por 100.000 efetivos das forças armadas e de segurança, em uma operação que foi reforçada depois que na quinta-feira um pacote-bomba explodiu na sede da empresa espanhola Indra em Buenos Aires, que proporciona o sistema informático para a apuração provisória.

No entanto, após as primeiras investigações parece descartado que o motivo do ataque estivesse relacionado com o processo eleitoral que a Argentina viverá hoje.

Para concorrer nas legislativas de outubro, a lista de pré-candidatos com mais apoio de cada força política que participa das primárias deste domingo deverá superar o patamar mínimo de 1,5% dos sufrágios.

Na prática, são muito poucas as forças que apresentam mais de uma lista, razão pela qual, na realidade, não há verdadeiras primárias, mas os resultados servem para sondar que grau de apoio popular têm as diversas frentes, tanto em nível nacional como em cada província.

As eleições de hoje têm ainda uma importância especial porque serão o primeiro teste eleitoral para o governo após um ano e meio de gestão e uma sondagem do apoio à ex-presidente Cristina Kirchner, que voltou à primeira linha da política para lutar por um assento no Senado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos