Colômbia e EUA qualificam de "crise" aumento de cultivos ilícitos

Cartagena (Colômbia), 13 ago (EFE).- O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, e o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, concordaram neste domingo em que o aumento dos cultivos ilícitos no país sul-americano é uma "crise", ao mesmo tempo que reiteraram que a luta contra as drogas é uma tarefa "titânica" e "conjunta".

"Esta crise precisa de uma ação rápida para proteger os povos de ambos os países. A droga envenena nossas crianças. Isto tem que terminar logo", declarou Pence, que iniciou uma excursão pela América Latina que o levará também a Argentina, Chile e Panamá.

Após uma reunião de quase uma hora e meia na Casa de Hóspedes Ilustres de Cartagena, o presidente colombiano reconheceu "o aumento dos cultivos ilícitos nos últimos anos", o que definiu como "uma preocupação" porque os dois países têm "uma responsabilidade compartilhada".

"A erradicação dos cultivos de coca é uma tarefa titânica, mas vamos cumpri-la", disse Santos.

O aumento dos cultivos de coca na Colômbia atingiu em 2016 o número recorde de 188 mil hectares, com uma produção potencial de cocaína de 710 toneladas métricas, segundo a Casa Branca.

Ao fim da declaração conjunta, Pence disse que o Governo do presidente Donald Trump vai "continuar tomando decisões para acabar com a demanda" de drogas nos EUA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos