Governo da Venezuela convoca marcha anti-imperialista após "ameaça" de Trump

Caracas, 13 ago (EFE).- O governo da Venezuela convocou neste domingo uma marcha anti-imperialismo amanhã, em Caracas, para protestar contra as declarações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que afirmou que não descarta uma "opção militar" para resolver a crise enfrentada pelo país.

O ministro de Comunicação da Venezuela, Ernesto Villegas, informou no Twitter que o protesto começará no oeste da capital e percorrerá as ruas de Caracas até chegar ao Palácio de Miraflores, sede da presidência do país.

A emissora estatal "VTV" fez várias convocações para a manifestação durante a programação deste domingo. Membros do governo e lideranças chavistas reforçaram os chamados em mensagens nas redes sociais com a hashtag #StopTrump.

Trump disse na sexta-feira que seu governo não descarta uma "opção militar" para resolver a crise na Venezuela e lembrou que os EUA têm tropas em todos os lugares do mundo.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, não respondeu diretamente às declarações de Trump, mas vários líderes do chavismo saíram em defesa do governo e atacaram a nova "agressão imperial".

As afirmações de Trump também foram criticadas pela oposição venezuelana. Em comunicado, a Mesa da Unidade Democrática (MUD) rejeitou a ameaça militar do presidente americano, mas também condenou a ingerência de Cuba nas Forças Armadas e na política interna do país, uma ação que conta com a permissão de Maduro, segundo a MUD.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos