Human Rights Watch acusa Arábia Saudita de isolar cidade de maioria xiita

Cairo, 13 ago (EFE).- A organização Human Rights Watch (HRW) denunciou neste domingo a atuação das forças de segurança sauditas ao isolar a cidade de maioria xiita de Al Awamiya, na região de Al Qatif, no marco de uma operação contra um grupo armado opositor ao governo.

"As forças de segurança sauditas devem fornecer serviços essenciais aos residentes cercados em Al Awamiya e assegurar-se que podem mover-se dentro e fora da cidade com segurança", declarou a diretora para o Oriente Médio da HRW, Sara Leah Whitson.

Os moradores da cidade disseram à ONG que se viram cercados pelos disparos de armas de fogo na região.

"Estava fazendo compras quando comecei a escutar disparos. Estava no meu carro dirigindo de volta pra casa quando as balas começaram a causar impacto contra o asfalto", afirmou Sami, morador da cidade.

Sami, cujo nome completo não foi revelado por motivos de segurança, é proprietário de uma loja próxima ao bairro de Al Musauara e denunciou que as forças de segurança abrem fogo na área "arbitrariamente" e que sua loja está "coberta de buracos de bala", segundo a ONG.

"As autoridades sauditas devem imediatamente começar a tomar as medidas pertinentes para permitir que as pessoas retornem pra casa com segurança, permitir aos negócios e às clínicas reabrir suas portas e compensar os moradores pelos danos à propriedade e pela destruição causada pelas forças de segurança", disse a responsável da HRW.

Por sua parte, o governador de Al Qatif, Falah al Jaldi, assegurou hoje em uma entrevista ao jornal saudita "Al Hayat" que estão facilitando o processo para que os moradores de Al Awaniya retornem "nos próximos dias" às suas casas, após terem "aceitado" ser evacuados.

Segundo o governador, foram proporcionadas moradias temporárias fora da província a mais de 300 famílias que se viram afetadas pelo plano de demolição no bairro de Al Musauara e nos divisórios.

O governo saudita quer derrubar o bairro alegando que se transformou em uma "base de terroristas", onde planejam e lançam ataques contra as forças de segurança e civis.

Esta região de maioria xiita foi em 2012 palco de protestos e enfrentamentos protagonizados pela comunidade desse credo, que se sente discriminada pelas autoridades do país sunita.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos