PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Paul Ryan critica indulto de Trump a ex-xerife envolvido em caso de racismo

26/08/2017 20h22

Nova York, 26 ago (EFE).- O presidente da Câmara dos Representantes, o republicano Paul Ryan, criticou neste sábado o presidente os Estados Unidos, Donald Trump, por conceder um indulto ao ex-xerife Joe Arpaio, condenado por desacato aos tribunais em um caso de discriminação racial, informou o "The Wall Street Journal".

O porta-voz de Ryan, Doug Andres, disse ao jornal que o republicano "não está de acordo com a decisão" de Trump, uma oposição compartilhada por outros políticos de seu partido, que expressaram rejeição ao perdão presidencial.

"Os funcionários da polícia têm a especial responsabilidade de respeitar os direitos de todos nos EUA. Não devemos deixar que ninguém acredite que essa responsabilidade vá diminuir com este perdão", acrescentou o porta-voz.

Trump concedeu na noite de sexta-feira um indulto ao polêmico ex-xerife, que foi considerado culpado em julho por desacato aos tribunais em um caso de discriminação racial e estava à espera de uma condenação que poderia ser de até seis meses de prisão.

"O xerife Joe Arpaio tem 85 anos e, após mais de 50 anos de admirável serviço à nação, merece um perdão presidencial", afirmou Trump em um comunicado.

Arpaio foi xerife do condado de Maricopa (Arizona) - que inclui a cidade de Phoenix - entre 1993 e 2017, período em que ficou famoso no mundo todo pro sua rigidez com os imigrantes ilegais e pelas severas condições no presídio sob sua jurisdição.

Após receber o indulto, Arpaio se disse "muito agradecido" e "honrado" em uma mensagem no Twitter, onde expressou seu desejo de "deixar para trás" este episódio.

Após ser divulgada a notícia do indulto, dezenas de organizações e políticos manifestaram a sua rejeição frontal à medida.

O senador pelo Arizona Jeff Flake disse no Twitter que seria melhor "que o presidente respeitasse o processo judicial e deixasse que ele seguisse o seu curso", enquanto o senador pelo mesmo estado e também republicano John McCain considerou que o indulto "enfraquece" as alegações de Trump sobre o seu respeito ao estado de direito, pois "Arpaio não mostrou arrependimento por suas ações".

Outro conhecido republicano, o ex-governador da Flórida Jeb Bush, citou no Twitter o argumento de McCain e considerou que o senador tinha "razão".

No entanto, o primeiro perdão presidencial de Trump desde que chegou à Casa Branca foi bem recebido por outros companheiros de partido, como o congressista republicano do Arizona Trent Franks.

"O presidente fez a coisa certa, Joe Arpaio viveu uma vida respeitável servindo ao nosso país e merece uma aposentadoria honrosa", tuitou.

Internacional