PUBLICIDADE
Topo

Guru é condenado a 10 anos de prisão por estupro após distúrbios na Índia

28/08/2017 08h04

Nova Délhi, 28 ago (EFE).- O guru indiano Gurmeet Ram Rahim Singh foi condenado nesta segunda-feira a 10 anos de prisão por estupro em meio a fortes medidas de segurança, uma sentença que foi revelada depois que na sexta-feira seus seguidores protagonizaram graves distúrbios que deixaram 38 mortos no norte do país.

O juiz Jagdeep Singh foi encarregado de ler a decisão e para isso foi levado de helicóptero até a prisão de Sunaria, no distrito de Rohtak no estado de Haryana, onde o guru está detido, informou a imprensa local.

O líder religioso tinha sido declarado culpado por estupro na sexta-feira por um tribunal de Panchkula, cerca de 250 quilômetros ao norte, mas só hoje a sentença foi revelada entre fortes medidas de segurança.

O forte dispositivo em Rohtak contou com 2 mil policiais e 23 companhias paramilitares.

"Organizamos fortes medidas (de segurança) no distrito de Rohtak, especialmente nas estradas que levam à prisão de Sunaria", onde está o guru, disse hoje em declarações à imprensa o inspetor geral de polícia da zona, Navdeep Singh Virk.

Na sexta-feira, milhares de seguidores do guru provocaram o caos no norte do país, protagonizando distúrbios que se estenderam inclusive até a capital indiana, cerca de 280 quilômetros, e que acabaram com 38 mortos, 250 feridos e quase mil detidos

Além disso, ocorreram graves danos materiais com a queima de duas estações de trem e 76 veículos, segundo indicou a polícia de Haryana.

O guru Gurmeet Ram Rahim Singh lidera a organização espiritual Dera Sacha Sauda e afirma contar com 50 milhões de seguidores na Índia.

Além disso, o guru protagonizou em 2015 um filme baseado em sua vida e, um ano antes, publicou um disco que vendeu três milhões de cópias em apenas três dias.