PUBLICIDADE
Topo

OMM qualifica tempestade Harvey de "pesadelo total"

29/08/2017 09h23

Genebra, 29 ago (EFE).- A Organização Meteorológica Mundial (OMM) disse nesta terça-feira que a tempestade tropical Harvey deixou no Texas, no sul dos Estados Unidos, "um cenário de pesadelo", e antecipou que a situação continuará sendo crítica nos próximos dias.

"Pesadelo é a palavra que nós usaríamos. A área afetada é gigante e para dar uma ideia do que ela representa, basta dizer que é praticamente do tamanho da Espanha", disse em uma coletiva de imprensa a porta-voz da organização, Claire Nullis.

Os cientistas consideram que esta tempestade tropical é tão grave que "parece se mover muito lentamente e não se afasta, como normalmente ocorre com as tempestades deste tipo (...) Simplesmente está ficando", explicou a porta-voz.

Além disso, indicou que é provável que o nível de urbanização de Houston esteja impedindo a evacuação das águas.

Sobre a relação entre este desastre e a mudança climática, Nullis disse que estes eventos meteorológicos concretamente não são causados por este fenômeno, enquanto a intensidade que alcançam e o aumento da sua frequência "não está claro".

Segundo os últimos dados das agências meteorológicas dos EUA, a chuva adicional que está prevista para as próximas horas "piorará a situação no sudeste do Texas e em partes da Louisiana".

Os níveis acumulados de água vão desde os 50 centímetros até os 1,2 metros em certas zonas da cidade de Houston.

Nullis indicou, em referência à gravidade da situação, que os meteorologistas "não são pessoas propensas ao exagero e preferem evitar os superlativos, mas a descrição que fazem da situação dá uma ideia do que está ocorrendo".

A porta-voz disse que o Centro Nacional Meteorológico dos EUA apontou que se trata de um desastre natural "sem precedentes" e que seu impacto "vai além de tudo o que podemos ter experimentado".

A tempestade Harvey levou tanta chuva que essa entidade teve que atualizar os seus gráficos e introduzir uma categoria de cor adicional para representar a quantidade de chuva acumulada (acima dos 76 centímetros), lembrou Nullis.