PUBLICIDADE
Topo

ONU estende missão de paz no Líbano e pede mais coordenação

30/08/2017 20h55

Nações Unidas, 30 ago (EFE).- O Conselho de Segurança da ONU decidiu nesta quarta-feira estender a missão de paz no Líbano (Finul) por mais um ano, mas ordenou uma maior cooperação com as forças armadas libanesas após as duras críticas que recebeu dos Estados Unidos nos últimos dias.

"Determinamos que a situação no Líbano segue constituindo uma ameaça para a paz e a segurança internacional e decidimos estender o presente mandato da Finul até 31 de agosto de 2018", afirma o texto da ONU.

A resolução, adotada por unanimidade, pede total liberdade de movimento dos soldados da Finul no país, e exigiu que sejam realizadas mais patrulhas conjuntas e coordenada das forças armadas do Líbano e das tropas de paz.

"Damos as boas-vindas à expansão de atividades coordenada entre a Finul e as forças armadas do Líbano, e pedimos uma intensificação desta cooperação", acrescenta o documento.

A decisão foi tomada após um intenso debate, e uma semana depois de os EUA pedirem mudanças na Finul e a acusassem de não cumprir seu papel ao permitir que a milícia xiita Hezbollah acumule armas de forma "ilegal", complicando a situação de segurança no sul do Líbano.

"Chamamos os membros do Conselho de Segurança a unir-se a nós para empreender uma ação real, para fazer da Finul uma missão de paz mais forte e opor-se às forças terroristas no Líbano e na região", disse na semana passada a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley.

Outros países do Conselho, pelo contrário, tinham defendido a manutenção do atual mandato da operação sem mudanças.

A Finul tem como missão apoiar às forças armadas libanesas para garantir a estabilidade e segurança em cumprimento da resolução 1701 da ONU que pôs fim à guerra de 2006 entre Israel e o grupo xiita libanês Hezbollah.

Atualmente, a missão dispõe de pouco mais de 10.500 "capacetes azuis".