Presidente da Câmara pede a Trump para manter plano migratório de Obama

Washington, 1 set (EFE).- O presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, o republicano Paul Ryan, pediu nesta sexta-feira ao presidente do país, Donald Trump, que mantenha o programa migratório criado pelo ex-presidente Barack Obama, conhecido como Daca, e que protegeu 800 mil jovens da deportação.

Em uma entrevista em uma rádio de Wisconsin, estado pelo qual é congressista, Ryan foi perguntado sobre a possibilidade de Trump encerrar o programa e sugeriu que o presidente não faça isso.

"É algo que o Congresso deve consertar", afirmou.

"Essas pessoas estão no limbo, são meninos que não conhecem outro país, que seus pais trouxeram para cá e que não tem outro lar. Realmente acredito que deve haver uma solução legislativa e nisso que estamos trabalhando. Queremos tranquilizar as pessoas", disse Ryan, principal liderança do Partido Republicano no Congresso.

O influente congressista afirmou que teve "muitas conversas" sobre o assunto com a Casa Branca e lembrou que Trump também disse que quer uma "solução humana" para o problema.

Durante a campanha eleitoral de 2016, Trump prometeu que acabaria com o programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância (Daca). No entanto, posteriormente, reconheceu que esse é um dos temas mais difíceis com os quais está lidando na presidência e afirmou que o enfrentaria "com o coração", sem dar mais detalhes sobre o assunto.

Com as declarações, Ryan mostrou apoio às iniciativas que estão sendo debatidas no Congresso para proteger os beneficiários da Daca, um posicionamento que ainda não tinha sido adotado por nenhuma liderança do Partido Republicano.

As afirmações representam também uma mudança de postura do próprio congressista, que votou em reiteradas ocasiões contra o programa elaborado pelo governo de Obama.

Outros republicanos também pediram que Trump não acabe com o Daca, sancionado em 2012 por Obama e que permitiu que milhares de jovens, conhecidos como "dreamers" (sonhadores), obtivessem uma licença temporaria para conzudir e para trabalhar.

O governo de Trump tem sido pressionado para acabar com a Daca. O procurador-geral do Texas e de outros nove estado conservadores, que ameaçaram entrar com uma ação contra o Executivo se o plano não for encerrado. EFE bpm/lvl

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos