Berlim e Seul exigem mais sanções contra Pyongyang após teste nuclear

Berlim, 4 set (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, concordou nesta segunda-feira com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, em exigir mais sanções contra Pyongyang após o último teste nuclear e em trabalhar na busca de uma solução diplomática à crise.

Merkel e Moon abordaram a situação na península coreana em uma conferência telefônica na qual também salientaram a importância de dar uma resposta coordenada à Coreia do Norte, informou a chancelaria da Alemanha em um comunicado.

"À luz da conduta pouca razoável e de confrontação da Coreia do Norte, a chanceler e o presidente se mostraram a favor de que a comunidade internacional estabeleça rapidamente mais e mais duras sanções. É importante neste aspecto um estreito acordo entre os parceiros", destaca o comunicado.

O "objetivo comum" deve continuar sendo "evitar uma escalada militar" e "possibilitar uma solução pacífica".

O teste de uma bomba nuclear neste domingo por parte da Coreia do Norte foi condenado unanimemente por Merkel e Moon, que o consideraram uma "nova provocação" de Pyongyang que empurrou o conflito a uma "nova dimensão".

Merkel expressou ainda a seu interlocutor a solidariedade alemã perante a "estratégia da escalada" perseguida por seu vizinho do norte.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos