Seul calcula que potência de teste atômico norte-coreano foi de 50 kilotons

Seul, 4 set (EFE).- O Ministério da Defesa da Coreia do Sul calculou nesta segunda-feira que a potência do teste nuclear executado ontem pela Coreia do Norte foi de 50 kilotons, cinco vezes maior que o seu primeiro ensaio atômico, realizado há um ano.

O sexto teste nuclear norte-coreano foi o maior até agora, segundo as medições sismológicas de diversos organismos que detectaram o forte terremoto artificial causado no domingo pela suposta detonação de um artefato termonuclear ao nordeste da península da Coreia.

Seul estimou inicialmente a potência da detonação em 100 kilotons, mas reduziu o cálculo pela metade, em um relatório apresentado pelo Ministério da Defesa ao Parlamento da Coreia do Sul e divulgado pela agência "Yonhap".

O Japão, por sua vez, calculou a força em 70 kilotons, segundo seu ministro da Defesa, Itsunori Onodera, enquanto o centro sismológico norueguês Norsar a estimou em 120 kilotons.

Apesar das divergências nas medições, os especialistas concordam ao apontar que a Coreia do Norte melhorou sensivelmente suas capacidades nucleares ao conseguir pelo menos quintuplicar a potência do seu aparelho anterior, testado 9 de setembro de 2016.

Ainda serão necessárias mais medições, além de recolher possíveis mostras de materiais radioativos emanados do local dos testes, para determinar se Pyongyang conseguiu desenvolver com sucesso uma bomba H, como anunciou o regime norte-coreano no dia do ensaio através de seus meios oficiais.

Tampouco está claro se a Coreia do Norte é capaz de equipar um de seus mísseis intercontinentais com um destes artefatos termonucleares de tamanho reduzido, como o testado no domingo algumas horas após ser exibido em fotos nas quais também aparecia o líder Kim Jong-un.

Pyongyang afirmou que se tratou de um aparelho de "duas etapas", o que lhe concederia mais potência que as bombas nucleares convencionais, e apontou que desenvolveu uma tecnologia própria para adaptar sua potência "desde dezenas até centenas de kilotons", segundo um comunicado divulgado pela agência estatal "KCNA".

Após o intenso terremoto originado no domingo pela detonação do artefato nuclear, de mais de 6 graus na escala Ritcher, vários institutos sismológicos detectaram um segundo tremor de menor intensidade (em torno de 4 graus), oito minutos após o primeiro.

Este segundo tremor pode ter sido causado pelo colapso de alguma das galerias subterrâneas ou outros "danos estruturais" na base de testes nucleares de Punggye-ri, onde a Coreia do Norte executou seus seis ensaios nucleares, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos