Janot denuncia Lula, Dilma e mais 6 do PT por organização criminosa

Brasília, 5 set (EFE).- O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou nesta terça-feira os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo suposto crime de organização criminosa.

A denúncia, no âmbito da Operação Lava Jato, foi oferecida dentro do inquérito que investiga se o PT formou uma organização para desviar dinheiro da Petrobras.

Além de Lula e Dilma, também foram denunciados os ex-ministros Antonio Palocci, Guido Mantega, Edinho Silva e Paulo Bernardo; a senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT; e o ex-tesoureiro do partido, João Vaccari Neto.

Segundo Janot, todos são suspeitos de "promover, constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa", cuja pena é de 3 a 8 anos de prisão, além de multa.

De acordo com a denúncia, entre 2002 e 2016, os acusados "integraram e estruturaram uma organização criminosa com atuação durante o período em que Lula e Dilma Rousseff sucessivamente titularizaram a Presidência da República, para cometimento de uma miríade de delitos, em especial contra a administração pública em geral".

Janot sustenta na denúncia que o PT é "parte de uma organização criminosa única, que congrega, pelo menos, os partidos PT, PMDB e PP, bem como núcleos diversos".

O ministro Luiz Edson Fachin, encarregado da Lava Jato no STF, notificará os acusados para que apresentem uma resposta e levará o caso à segunda sala da corte, que decidirá se indicia ou não os políticos.

A denúncia foi enviada ao Supremo devido ao foro privilegiado de um dos acusados, a senadora Gleisi Hoffmann.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos