Hun Sen anuncia que continuará como premiê do Camboja por outros 10 anos

Bangcoc, 6 set (EFE).- O primeiro-ministro do Camboja, Hun Sen, anunciou nesta quarta-feira que tinha pensado em se aposentar, mas continuará por outros dez anos cuidados dos eventos políticos do país.

Hun Sen indicou em sua conta do Facebook que seguirá "liderando o país para proteger a paz, defender as fábricas e proteger o conforto dos trabalhadores, durante mais dois mandatos", de cinco anos cada um.

O governante, de 65 anos, sofreu vários problemas de saúde neste ano que o levaram a planejar a aposentadoria.

"Antes era reticente, mas após ver os dolorosos atos de traição, decidi continuar e governar para proteger o que construímos", apontou Hun Sen, segundo declarações publicadas pela imprensa local.

O ato de traição se refere ao caso do presidente do opositor Partido do Resgate Nacional do Camboja, Keam Sokha, que foi detido no domingo e acusado na terça-feira do delito de traição, que é castigado com entre 15 e 30 anos de prisão.

O processo contra Sokha decapita o principal agrupamento da oposição no Camboja, depois que o autoexilado Sam Rainsy renunciou à presidência do Partido do Resgate Nacional do Cambodja em fevereiro, por uma condena por difamação.

Uns dias depois, as autoridades desabilitaram a Rainsy para participar na vida política pelas suas contas pendentes com a justiça.

As autoridades cambojanas começaram há algumas semanas uma ofensiva contra a oposição que levou a expulsar do país a ONG americana National Democratic Institute (NDI), dedicada a promover a democracia, e fechar 19 emissoras de rádio e o jornal "Cambodia Daily".

O "Cambodia Daily", um dos poucos jornais independentes do país, fechou na segunda-feira depois que não pôde pagar a quantidade de dinheiro exigida pela Fazenda em impostos.

Hun Sen ganhou a reeleição em 2013, para um cargo que desempenha de forma ininterrupta desde 1985, ao se impor por uma pequena margem ao Partido do Resgate Nacional do Cambodja em eleições nas quais a oposição denunciou fraude eleitoral.

As próximas eleições legislativas serão realizadas em 29 de julho de 2018.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos