Trump Jr. se reunirá amanhã com membros de comitê que o investiga no Senado

Washington, 6 set (EFE).- Donald Trump Jr., filho mais velho do presidente dos Estados Unidos, se reunirá na quinta-feira a portas fechadas com membros do Comitê Judicial do Senado que tenta esclarecer a possível conexão entre a campanha de seu pai e o governo russo para influenciar nas eleições de 2016.

Segundo informou nesta quarta-feira o jornal especializado "Politico", que cita fontes da defesa de Trump Jr., o filho do presidente americano se reunirá tanto com senadores como com assistentes de legisladores do comitê.

"Esperamos uma reunião profissional e produtiva, e apreciamos a oportunidade de poder ajudar ao comitê", declarou o advogado do filho do governante, Alan Futerfas, ao citado jornal.

O Comitê Judicial do Senado, que investiga há semanas a possível ingerência do Kremlin nas eleições americanas do ano passado, expressou seu desejo de interrogar Donald Trump Jr. sobre sua reunião com a advogada Natalia Veselnitskaya.

Segundo reconheceu o próprio filho do presidente, que chegou a publicar os e-mails que trocou com Veselnitskaya, a advogada - que tem vínculos com o governo russo - lhe ofereceu informação que poderia ajudar o atual governante a vencer sua rival democrata, Hillary Clinton, na corrida pela Casa Branca.

Da reunião entre Trump Jr. e Veselnitskaya também participaram Jared Kushner, o genro do presidente; e Paul Manafort, chefe da campanha presidencial.

A lista de presentes ao encontro foi completada por Rinat Akhmetshin, um lobista russo-americano que buscava a suspensão das sanções a Moscou por parte de Washington impostas em 2012; e o publicitário britânico Rob Goldstone, que preparou o encontro, bem como o tradutor Anatoli Samochornov.

Por causa destas informações, Trump Jr. foi convocado para testemunhar publicamente perante o comitê em julho, mas o filho mais velho do presidente rejeitou esta possibilidade, ainda que tenha se oferecido a conceder um depoimento fechado e a proporcionar documentos de interesse para suas investigações.

A resposta dos líderes do painel, o republicano Chuck Grassley e a democrata Dianne Feinstein, a esta oferta foi insistir na realização de uma audiência pública com Trump Jr. após falar com ele em particular.

A grande importância que se concede à atual investigação do comitê se deve ao fato de que, se forem confirmadas as suspeitas, se trataria da prova mais tangível de uma possível coordenação entre o governo de Vladimir Putin e a campanha de Trump para interferir nas eleições presidenciais americanas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos