Cristina Fernández deve ser indagada por causa de encobrimento de terroristas

Buenos Aires, 7 set (EFE).- Um promotor da Argentina pediu à Justiça que se chame para prestar depoimento declaração indagatória à ex-presidente Cristina Fernández e a outros ex-funcionários na causa iniciada pela denúncia por encobrimento de terroristas apresentada pelo promotor Alberto Nisman em 2015, informaram hoje fontes judiciais.

O promotor federal Gerardo Pollicita solicitou ao juiz Claudio Bonadio, a cargo de tal causa, que emita a ordem para que declarem a ex-presidente (2007-2015), o ex-chanceler Héctor Timerman e o resto dos ex-membros do seu Governo, segundo revelou a agência estatal "Télam".

Todos eles são acusados certamente por encobrimento dos iranianos pelo atentado contra a associação judia AMIA de Buenos Aires em 1994, que deixou 85 mortos.

Desde que Nisman a apresentou - quatro dias antes de morrer em circunstâncias que ainda não foram esclareceram -, a denúncia passou de ser desestimada pela "inexistência de delito" - no começo de 2015 -, a ser reaberta no final de 2016, quando foi aceita pelo juiz Ariel Lijo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos