Ministro afirma que visita do papa foi "crucial" para cessar-fogo do ELN

Bogotá, 7 set (EFE).- O ministro de Defesa da Colômbia, Luis Carlos Villegas, afirmou nesta quinta-feira que a visita do papa Francisco ao país foi "crucial" para o anúncio do cessar-fogo anunciado pela guerrilha do Exercito de Liberdade Nacional (ELN).

Em um encontro com os meios de comunicação que estão cobrindo a visita de Francisco, Villegas assegurou que o anúncio da visita do papa, que chegou ontem a Bogotá e que permanecerá no país até domingo, "galvanizou o sentimento colombiano de reconciliação".

"A visita do papa exacerbou um sentimento nacional de paz e isto é muito positivo. Mas não acredito nas coincidências. Se me perguntarem se sua visita foi crucial para o cessar-fogo do ELN, posso dizer categoricamente que sim", comentou o ministro na sala de imprensa do hotel Tequendama.

A respeito do esquema policial para a visita de Francisco, o ministro lembrou que foram mobilizados 35.000 agentes tanto em Bogotá, como nas outras cidades que visitará (Villavicencio, Medellín e Cartagena) e que, por enquanto, está "muito satisfeito" e "muito agradecido" com todas as forças da ordem.

"Para as nossas forças armadas é uma honra a visita do papa, uma visita que nos honra e nos imprime maior energia e decisão para cumprir com o nosso dever com os colombianos", acrescentou.

Ao responder sobre as negociações com o ELN, Villegas comentou também que espera que "o cessar-fogo seja permanente e definitivo".

Também reconheceu que as negociações serão "mais difíceis" que as que houve com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), já que "têm uma consciência maior de autoestima do seu grupo" e "os agentes no seu comando central acreditam ainda que a via totalitária é possível".

No entanto, opinou que este cessar-fogo "dá uma esperança nova de que a razão pela qual usaram pelas armas talvez tenha perdido importância em sua forma de pensar" e que finalmente assinarão também um acordo.

"É uma oportunidade que o ELN não pode perder", argumentou.

O ministro de Defesa também informou que, após os acordos com as Farc, agora convertidas em partido politico, houve "uma queda de 6% nos homicídios no país".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos