Avenida mais famosa de Havana se prepara para o furacão Irma

Havana, 8 set (EFE).- O famoso quebra-mar de Havana, instalado na mais famosa avenida da capital de Cuba, chamada de Malecón, começou nesta sexta-feira a se preparar para a passagem do furacão Irma, que, apesar de não atingir diretamente a ilha, provocará ondas de vários metros de altura e inundações no litoral do país.

Instituições estatais, escritórios e empresas privadas que estão na "linha de frente" da costa de Havana faziam preparativos para proteger suas instalações, enquanto muitos operários trabalhavam para desentupir o sistema de captação de água das chuvas.

Os "paladares", os restaurantes particulares instalados nessa privilegiada região de Havana, começaram a retirar as cadeiras e mesas de seus terraços, protegendo também portas e janelas com grandes tábuas de madeira chapada ou sacos de areia empilhados para formar uma espécie de muralha.

O Malecón, icônico ponto de encontro de Havana e um dos cartões postais da cidade, tem oito quilômetros ao longo da costa da capital e conta com uma avenida de seis pistas que separa os prédios do mar.

O Irma, que perdeu força hoje e agora está na categoria 4 da escala Saffir-Simpson, que vai até 5, se move hoje sobre a costa norte de Cuba. A expectativa é que o furacão afete, sobretudo, as províncias de Holguín e Las Tunas. No sábado, passará por Camagüey, Ciego de Ávila e Santa Clara antes de seguir rumo à Flórida.

Apesar de a trajetória prevista não incluir Havana, a Defesa Civil colocou a cidade em estado de alerta porque o furacão pode provocar inundações na capital.

Funcionários da empresa Águas de Havana trabalharam em ritmo acelerado desde o início do dia para consertar e fazer a manutenção dos sistemas de drenagem do Malecón, do centro antigo e dos bairros de Vedado, Praça da Revolução e Miramar, disse à imprensa local a diretora de saneamento da companhia, Andrea Miranda.

Além disso, ontem teve início a poda de árvores cujos galhos possam colocar em risco casas, outros imóveis, e sistemas elétricos e de comunicações. Outros funcionários do governo também fazem uma operação para a retirada de escombros nas ruas da capital.

A Defesa Civil de Cuba alertou que durante o sábado e no domingo serão registradas no Malecón e no litoral da capital ondas que podem superar os 5 metros de altura. O mar pode avançar 500 metros terra a dentro, segundo as previsões.

O governo de Cuba, que já retirou de suas casas mais de 700 mil pessoas por causa do Irma, ampliou hoje o estado de alerta para quase 75% do território da ilha.

O furacão provocou inundações nesta madrugada no extremo leste de Cuba, especialmente na cidade de Baracoa, que já tinha sido gravemente afetada no ano passado pelo furacão Matthew. Segundo a imprensa local, já estão sendo registradas inundações, fortes chuvas e ventos fortes em Holguín e Las Tunas.

Segundo a Defesa Civil de Cuba, o Irma segue sendo um sistema de "grande intensidade", com ventos máximos sustentados de 250 km/h, limite superior ao de um furacão categoria 4 na escala Saffir-Simpson.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos