Maduro faz escala na Argélia em sua viagem oficial ao Cazaquistão

Argel, 9 set (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, chegou neste sábado a Argel em uma escala dentro de sua longa viagem oficial ao Cazaquistão, na qual aproveitou para analisar o mercado da energia com um parceiro estratégico.

O governante venezuelano foi recebido pelo presidente do parlamento, Said Bouhadja, com quem falou sobre a estratégia de produção e preços no seio da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), informaram fontes oficiais argelinas à Agência Efe.

Maduro, acompanhado da sua esposa, Cilia Flores, e de seu chanceler, Jorge Arreaza, aproveitou a breve parada em um país amigo para destacar os laços que vinculam ambas nações e enviar uma mensagem de apoio ao povo argelino.

Essa declaração foi agradecida e respondida por Bouhadja, que confirmou o bom estado das relações estratégicas que ambos mantêm em foros internacionais como a Opep e o Movimento dos Países Não Alinhado.

Após a reunião, Maduro prosseguiu a viagem iniciada ontem em Caracas rumo ao Cazaquistão, em cuja capital, Astana, participará nos dias 10 e 11 de setembro em uma cúpula sobre ciência e tecnologia de chefes de Estado dos 57 países da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI).

Maduro foi convidado à reunião como presidente do Movimento de Países Não Alinhados e se reunirá durante o evento com representantes de nações produtoras de petróleo dentro e fora da Opep.

Antes de partir para a Ásia, Maduro apontou que buscará na cúpula da OCI "novos acordos econômicos" para que o seu país "alcance a independência definitiva do ponto de vista econômico e financeiro".

O presidente venezuelano realiza esta viagem após anunciar na quinta-feira medidas econômicas para fortalecer o "modelo socialista" implantado pelo chavismo no país caribenho, entre elas um novo impulso ao controle de preços e a criação de um "novo sistema de pagamento internacional".

Este "novo sistema" pretende expatriar o dólar e substitui-lo por outras moedas como o yuan, a rupia, o rublo e o euro como divisas de referência nas transações internacionais da Venezuela.

A primeira reunião da delegação venezuelana em Astana aconteceu hoje entre o ministro de Petróleo do país sul-americano, Eulogio del Pino, w seu homólogo dos Emirados Árabes Unidos, Suhail bin Mohammed al Mazroui, que será o próximo presidente da Conferência da Opep a partir de janeiro de 2018.

Na reunião, os dois ministros avaliaram os resultados do acordo de corte de produção dos países dentro e fora da Opep, assinado em dezembro de 2016 para conseguir um aumento dos preços do petróleo. EFE

jm/rsd

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos