Insurgentes rohingyas declaram cessar-fogo temporário em Mianmar

Bangcoc, 10 set (EFE).- O grupo insurgente rohingya que atacou no final de agosto 30 postos governamentais no oeste de Mianmar declarou neste domingo um cessar-fogo durante um mês para permitir a entrada de assistência humanitária.

Pelo menos 290 mil rohingya, a quem o governo birmanês não reconhece a cidadania, fugiram para Bangladesh da violência no estado de Rakhine desde o dia 25 de agosto.

Nesse dia, mil combatentes pobremente armados do Exército de Salvação Rohingya de Arakan (Arsa) atacou as posições oficiais situadas em vários municípios na fronteira com Bangladesh.

O Exército birmanês respondeu com uma campanha de segurança que até a data causou pelo menos 414 mortos, a maioria rohingyas, segundo números oficiais, ainda que este poderia ser muito maior de acordo com organizações independentes.

Outras 30 mil pessoas, entre budistas, indianos e muçulmanos, também tiveram que deixar suas casas e estão em centros de deslocados internos assistidos pelas autoridades.

Desde o início dos confrontos, o Arsa e as Forças Armadas trocam acusações sobre violações dos direitos humanos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos