Número de detenções na fronteira entre EUA e México cai 41% em agosto

Washington, 11 set (EFE).- A Patrulha Fronteiriça americana deteve 22.293 indivíduos na fronteira entre os Estados Unidos e o México durante agosto, o que representa uma redução de 41% em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo sistema de Alfândegas e Proteção Fronteiriça (CBP).

A redução de apreensões em agosto segue múltiplas quedas nos meses anteriores entre os anos, o que mostra uma diminuição da chegada irregular de imigrantes da América Central e do México aos EUA desde que Donald Trump tomou posse, no dia 20 de janeiro.

Alguns especialistas chamam este fenômeno de "efeito Trump" e consideram que o discurso do governante intimidou os imigrantes e os obrigou a permanecer em casa.

De acordo com os novos dados, o número de 22.293 significa uma queda de 41% a respeito de agosto do ano passado, quando houve cerca de 51,9 mil detenções, quantidade superior a 2015 e que lembrou a situação vivida em 2014, quando milhares de crianças procedentes de El Salvador, Guatemala e Honduras chegaram sozinhas aos EUA após uma longa e perigosa viagem.

Nesta ocasião, durante agosto deste ano, chegaram aos Estados Unidos 2.994 crianças desacompanhadas, o que representa um aumento a respeito de julho (2.481) e junho (1.952).

Como ocorreu em períodos anteriores, a maioria das crianças interceptadas pela Patrulha Fronteiriça americana no último ano fiscal (entre outubro de 2016 e agosto de 2017) procede da América Central.

Concretamente, das milhares de crianças detidas neste ano, 2.520 são guatemaltecas, 1.640 procedem de El Salvador, 1.199 são do México e 1.081 vêm de Honduras.

Apesar da queda no número de detenções em relação a agosto do ano passado, a Patrulha Fronteiriça registrou um aumento de detenções a respeito dos meses anteriores.

Em agosto houve um aumento de 22% no número total de chegadas de imigrantes sem documentos aos Estados Unidos a respeito de julho, quando 25.025 indivíduos foram detidos pela Patrulha Fronteiriça, frente aos 30.567 que foram detidos no último mês.

Esses números incluem as pessoas que foram detidas e as que tiveram negada a entrada nos portos.

As tendências históricas mostram que costuma haver um aumento na chegada de pessoas sem documentos aos EUA entre os meses de fevereiro e julho, quando as condições climáticas favorecem o caminho ao norte. Portanto, em teoria, a maior chegada de imigrantes aos Estados Unidos de maneira irregular já ocorreu.

De fato, houve um descenso de 24% no número de chegadas aos Estados Unidos neste ano fiscal (entre outubro de 2016 e agosto de 2017) em relação ao mesmo período do ano anterior.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos