Coreia do Norte qualifica de "canalhas" novas sanções aprovadas na ONU

Genebra, 12 set (EFE).- A Coreia da Norte qualificou nesta terça-feira de "canalhas" as sanções adotadas na segunda-feira pelo Conselho de Segurança da ONU, que por decisão unânime de seus cinco membros permanentes ampliou as medidas contra o regime de Pyongyang, como resposta ao seu último teste nuclear.

Em seu discurso perante a Conferência de Desarmamento da ONU, que se reúne em Genebra, o embaixador norte-coreano, Tae Song Han, disse que seu país "rejeita categoricamente" essa resolução, a última de um total de oito com as quais endureceu as sanções.

A resolução do Conselho de Segurança "é uma manifestação extrema da vontade americana de eliminar a todo preço o sistema ideológico e social da Coreia do Norte e de seus habitantes", acusou.

O diplomata falou igualmente das ameaças que nos últimos dias surgiram desde instâncias oficiais da Coreia do Norte em relação a supostas medidas para "causar aos EUA a maior dor que já conheceu em sua história".

As medidas coercitivas buscam afogar economicamente a Coreia do Norte pelo seu programa nuclear ao limitar as suas importações de petróleo e derivados, e proibir as suas exportações de têxteis.

O objetivo é conseguir que Pyongyang aceite voltar à mesa negociadora e que interrompa seus programas nuclear e balístico.

Ao término hoje da Conferência de Desarmamento, a secretária-geral adjunta da ONU para este tema, Izumi Nakamitsu, lembrou que com o teste nuclear do dia 3, a Coreia do Norte violou pela sexta vez neste século o tratado internacional que proíbe tal ação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos