Deputado israelense renuncia após participar de casamento gay do sobrinho

Jerusalém, 13 set (EFE).- Um deputado judeu ultra-ortodoxo israelense apresentou nesta quarta-feira sua renúncia após uma semana de críticas e pressões por parte dos rabinos que exigiram sua expulsão após ser revelado que tinha participado do casamento gay de um sobrinho.

Na segunda-feira, cinco conhecidos rabinos publicaram uma carta na qual pediam ao partido ultra-ortodoxo Shas a expulsão do deputado Yigal Gueta por "ter profanado publicamente a vontade de Deus" forçando sua família a assistir uma boda que "é proibida" e é "uma ofensa flagrante", indicou o jornal "Haaretz".

"Vamos fazê-lo feliz porque é o filho da minha irmã e quero que seja feliz, mas quero que saiba que, segundo a Torá, esta boda é proibida e uma abominação," disse o deputado aos seus filhos, segundo declarou à "Rádio do Exército".

Apesar da renúncia, Gueta contou o apoio do presidente da formação e ministro de Interior, Arye Dery, que aceitou a renúncia e o encorajou a continuar tendo um papel na formação.

Membros da oposição mostraram nas redes sociais apoio ao deputado, como o líder do partido trabalhista Avi Gabay e Dov Khanin, da Lista Comum, ao qualificar de "escandaloso o fato de em 2017 a alegria de um membro gay da família despertar tais reações". EFE

lfp/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos