Governador de Porto Rico estima que Irma deixou prejuízo de US$ 1 bilhão

Washington, 14 set (EFE).- O governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló, estimou nesta quinta-feira, em visita a Washington, que o furacão Irma deixou um prejuízo de US$ 1 bilhão durante sua passagem pela ilha, valor que é quase o dobro do calculado inicialmente.

Uma primeira estimativa indicou que o furacão, de categoria 5 quando castigou a região no fim da última semana, tinha deixado US$ 600 milhões em danos, especialmente no sistema elétrico e no abastecimento de água. As estradas também foram bastante afetadas.

Atualmente, 10% da população porto-riquenha está sem energia.

Rosselló disse que o objetivo de sua viagem é informar ao Congresso dos Estados Unidos sobre o que ocorreu na ilha e quais foram os prejuízos provocados pela passagem do furacão.

A comissária residente de Porto Rico, Jenniffer González, afirmou que as autoridades locais estão trabalhando com a Agência Federal de Gestão de Emergências dos EUA (Fema) para identificar as necessidades econômicas da região após os prejuízos do Irma.

Além disso, González comunicou que o Departamento de Transporte e Estradas dos EUA já enviou a Porto Rico um primeiro repasse de US$ 2,5 milhões para começar a recuperar o sistema rodoviário.

O governador de Porto Rico indicou, além disso, que já chegaram à ilha os primeiros 500 desabrigados das Ilhas Virgens Britânicas, que também foram gravemente atingidas pelo furacão.

"Porto Rico sempre foi muito generoso com essas pessoas, que são nossos companheiros nas ilhas. Estamos fornecendo abrigo a eles, não só o governo, mas também alguns cidadãos", indicou Rosselló.

A expectativa é que mais 2 mil pessoas cheguem à ilha nos próximos dias. Ontem, o governo de Porto Rico tinha anunciado a disponibilidade de acolher 4 mil desabrigados.

Sobre a visita do presidente dos EUA, Donald Trump, a Porto Rico, anunciada na manhã de hoje por Rosselló no Twitter, o governador disse que ainda não existe uma data concreta para a viagem.

Rosselló chegou hoje a Washington para participar também das reuniões de trabalho da Frente por Porto Rico, que busca incluir a ilha nos debates do Congresso e da Casa Branca sobre a reforma fiscal, de saúde e de desenvolvimento econômico.

"Porto Rico é considerado de maneira doméstica para alguns assuntos, mas não para temas impositivos", disse o governador, indicando a necessidade de uma solução de longo prazo para encerrar essa situação.

A Frente por Porto Rico reúne diversos setores políticos, religiosos, sindicais, empresariais, cívicos e sociais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos