Prefeito venezuelano destituído e condenado se refugia no Brasil

Brasília, 14 set (EFE).- O ex-prefeito venezuelano David Smolansky, destituído e condenado a 15 meses de prisão pelo Supremo Tribunal por permitir protestos e fechamentos de ruas, abandonou seu país e está no Brasil, informaram nesta quinta-feira à Agência Efe fontes de seu entorno.

Smolansky era prefeito do município de Hatillo até o começo de agosto e estava na clandestinidade desde que foi destituído e condenado pelo seu apoio aos fortes protestos que então ocorriam contra o Governo de Nicolás Maduro.

O ex-prefeito, procurado desde sua destituição pelos Serviços de Inteligência Bolivariana (Sebin), divulgou na quarta-feira um vídeo nas redes sociais no qual dizia estar em seu "primeiro dia de exílio" e confirmou que tinha saído da Venezuela, ainda sem precisar onde estava.

"Resisti nestes 35 dias, nos quais percorri centenas de quilômetros no território nacional e hoje falo desde o meu primeiro dia no exílio", disse Smolansky nesse vídeo.

Fontes próximas ao partido Vontade Popular, ao qual pertence o ex-prefeito, disseram hoje à Agência Efe que este chegou ao Brasil por terra, o que confirmaria a viagem de "centenas de quilômetros" que disse ter feito nesse vídeo.

As mesmas fontes explicaram que Smolansky pudesse ser recebido hoje mesmo por autoridades do Governo do presidente Michel Temer, um dos mais críticos a Maduro na região.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos