Autoridades venezuelanas detêm 3 mulheres por vender bebê de 9 meses

Caracas, 15 set (EFE).- As autoridades da Venezuela detiveram três mulheres por seu suposto envolvimento na venda de um bebê de nove meses no estado de Nueva Esparta, informou nesta sexta-feira o Ministério Público local.

A procuradora auxiliar dessa jurisdição, Mayba Rosas, acusou "Rosany Guevara, María Veliz e Anny Hernández pela suposta comissão do delito de tráfico de pessoas, classificado na Lei Orgânica contra o Crime Organizado e Financiamento ao Terrorismo", afirma um comunicado divulgado pelo MP venezuelano.

As três mulheres foram encarceradas no anexo feminino da Estação Policial Los Robles, do mesmo estado.

Segundo informação preliminar do MP venezuelano, agentes do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (Cicpc) "receberam uma ligação telefônica para informar sobre um caso que apontava para o desaparecimento de uma adolescente de 12 anos de idade".

Em consequência, os policiais se transferiram até um imóvel no setor La Salina, de Nuava Esparta, local em que se encontravam María Veliz, suposta mãe da adolescente desaparecida, e Rosany Guevara.

No procedimento "Guevara declarou ser mãe de um bebê de nove meses que vendeu a um casal por sugestão de Anny Hernández, que se encarregou da comercialização e entrega da criança no mês de junho deste ano".

As mulheres foram detidas pelos funcionários do Cicpc e apresentadas às autoridades.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos