Ministro britânico pede "calma" após explosão em metrô londrino

Londres, 15 set (EFE).- O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, pediu, nesta sexta-feira, que a população tenha "calma" e ressaltou a importância de "não especular" sobre a natureza da explosão ocorrida hoje na estação Parsons Green, do Metrô de Londres.

Em um comunicado à imprensa, o chefe da diplomacia britânica disse que a informação disponível é "limitada" e pediu para a população que continue com sua vida normal.

Até o momento não há informações se aconteceu um atentado terrorista, após ser cogitado que a explosão pode ter acontecido em um recipiente branco dentro de uma bolsa de supermercado.

"Tenho medo que a informação seja limitada e é realmente importante não especular neste momento. Obviamente, todo o mundo deveria manter a calma e continuar com sua vida normalmente", disse o ministro.

"Pelo que eu sei, a Polícia Britânica de Transporte e a Transport for London (que opera o metrô), estão no local e nos manterão informados através das suas páginas na Internet assim que tenham as informações", afirmou Johnson.

Já um porta-voz da residência oficial de Downing Street disse que a primeira-ministra britânica, Theresa May, está "recebendo informações" sobre a situação em Parsons Green.

Aparentemente, vários passageiros sofreram queimaduras no rosto por conta da explosão, ocorrida em um trem que seguia para o centro de Londres.

A estação foi fechada e a linha District Line está suspensa, enquanto os serviços de emergência estão no local para ajudar no atendimento dos feridos.

Segundo uma imagem divulgada pela imprensa local, um recipiente branco explodiu em um dos vagões, mas parece não ter causado danos materiais nos assentos.

"Estamos cientes de um incidente em Parsons Green. Os agentes estão no local. A estação está fechada", afirmou a Polícia de Transportes de Londres.

Por sua vez, Transport for London (TfL), que opera o metrô da capital britânica, afirmou que investiga o incidente na estação e pediu aos passageiros que normalmente utilizam a linha District Line, para buscarem outras alternativas de transporte.

"Eu acredito que todos ficaram feridos pelo artefato ou seja lá o que fosse", disse Richar Aylmer-Hall, de 53 anos, que viajava em um trem no momento do incidente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos