Trump volta a defender seu veto migratório, após atentado em metrô de Londres

Washington, 15 set (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a defender nesta sexta-feira o seu veto migratório após o atentado registrado no metrô de Londres, que atribuiu a um "terrorista fracassado" e sobre o qual sugeriu que poderia ter sido prevenido.

"Outro ataque em Londres de um terrorista fracassado. Estas são pessoas doentes e dementes que estavam à vista da Scotland Yard. Devemos ser proativos!", comentou Trump na sua conta do Twitter.

Em seguida, Trump pediu para lidar "de uma maneira muito mais dura" com este tipo de terrorista, ao destacar que a internet "é a sua principal ferramenta de recrutamento".

Após o atentado, Trump insistiu de novo em defender seu veto migratório, que quer restringir a entrada nos EUA de todos os refugiados e os nacionais de seis países de maioria muçulmana, e assegurou que deveria ser "muito mais amplo, duro e específico".

O veto migratório de Trump entrou em vigor parcialmente no final de junho e impede durante 120 dias a entrada nos EUA de refugiados e, durante 90 dias, o de cidadãos de seis países de maioria muçulmana.

A Corte Suprema permitiu sua entrada em vigor e deu autorização ao Governo de Trump para definir suas próprias normas para aplicar o veto, mas em uma audiência programada para o dia 10 de outubro estudará sua legalidade a fundo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos