Onda de falsas ameaças de bomba na Rússia afetou mais de 850 edifícios

Moscou, 20 set (EFE).- A onda de falsas ameaças de bomba na Rússia já afetou mais de 850 edifícios em dezenas de cidades por todo país e obrigou a evacuar mais de 300 mil pessoas em pouco mais de uma semana, informaram nesta quarta-feira os serviços de emergência deste país.

Cerca de 500 pessoas foram evacuadas hoje da Praça do Palácio de São Petersburgo, o coração da capital imperial russa na qual está no Palácio de Inverno dos czares, atual sede do museu Hermitage.

"Recebemos uma ligação anônima sobre uma bomba na Praça do Palácio", revelou à "Interfax" uma fonte informada.

Durante o dia de ontem, as autoridades russas tiveram que evacuar quase 100 mil pessoas de 152 edifícios em 14 cidades, após receber 143 chamadas anônimas com ameaças de bomba, todas falsas.

"Desde 12 de setembro, o número de evacuados supera 300 mil. No total, foram recebidos avisos de bomba em mais 850 locais", assegurou um porta-voz dos serviços de emergência.

O Kremlin qualificou de "terrorismo telefônico" os incidentes e advertiu que serviços pertinentes estão tomando todas as medidas de segurança necessárias para esclarecer quem está por trás de tais ameaças de bomba.

As ligações telefônicas começaram em 10 de setembro na cidade siberiana de Omsk, após a qual se estenderam a outras 25 cidades da parte europeia do país e da Sibéria como São Petersburgo, Irkutsk, Perm, Saratov, Rostov, Krasnoyarsk e Samara.

Ainda que as autoridades não informaram sobre os possíveis autores das chamadas, a mídia local apontou a Ucrânia como a origem de 90% das chamadas e inclusive o Estado Islâmico como o mais provável autor das mesmas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos