Humala reclama de falta de equidade com denunciados por corrupção no Peru

Lima, 26 set (EFE).- O ex-presidente do Peru Ollanta Humala (2011-2016), que cumpre prisão preventiva acusado de lavagem de dinheiro, se queixou nesta terça-feira da falta de equidade e rigor para os denunciados por corrupção no país.

Em uma mensagem no Twitter, Humala afirmou que ele e sua esposa, Nadine Heredia, também em prisão preventiva, "enfrentamos a Justiça porque não temos nada a temer".

"Mas não vejo equidade, nem o rigor devido com quem esbanjou com o dinheiro do Estado", acrescentou o também fundador do Partido Nacionalista.

Humala e sua esposa foram detidos em julho deste ano por conta das investigações no Peru por suposta lavagem de dinheiro, associação ilícita para delinquir e pelas contribuições recebidas da Venezuela e da empreiteira brasileira Odebrecht para suas campanhas eleitorais de 2006 e 2011.

Em fevereiro, Justiça peruana também tinha ordenado a prisão preventiva do ex-presidente Alejandro Toledo (2001-2006) por ter recebido US$ 20 milhões em propina da Odebrecht, mas sua extradição dos Estados Unidos ainda está em trâmite.

Por sua vez, o também ex-presidente peruano Alan García (1985-1990 e 2006-2011) é atualmente investigado de ter recebido dinheiro da construtora para obter a concessão das obras do Metrô de Lima durante o seu segundo Governo, cujos ex-funcionários foram os primeiros detidos no Peru por este escândalo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos