PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Iraque dá 72 horas ao Curdistão para entregar controle de aeroportos

26/09/2017 14h41

Bagdá, 26 set (EFE).- O primeiro-ministro iraquiano, Haidar Al Abadi, anunciou nesta terça-feira que proibirá os voos para e desde o Curdistão se o Governo local não entregar o controle dos aeroportos às autoridades centrais em um prazo de 72 horas, bem como a das passagens terrestres dessa região.

Em uma coletiva de imprensa em Bagdá, Al Abadi disse que o Conselho de Ministros "decidiu proibir as viagens nacionais e internacionais para e desde o Curdistão se os curdos não derem o controle dos aeroportos ao Governo Federal".

Além disso, o Conselho de Ministros aprovou a entrega "das passagens fronteiriças (ao controle) ao Governo Federal e isto inclui fechar as passagens não oficiais entre ambos territórios", acrescentou Al Abadi.

O premiê assegurou que essas decisões foram tomadas com base na Constituição iraquiana, na qual é reconhecida a autonomia do Curdistão como parte de um Estado Federal.

Al Abadi também advertiu que não vai negociar com base nos resultados de um referendo de independência "unilateral e inconstitucional", depois que as autoridades curdas se mostraram dispostas a dialogar após a votação de ontem.

"Este referendo representa um perigo para todos os iraquianos e vai a pôr os interesses dos países da zona em perigo", acrescentou o chefe do Governo.

Ontem, as autoridades curdas realizam uma consulta de independência nesta região do norte do Iraque, com a oposição de Bagdá e do vizinho Irã e da Turquia, que também ameaçaram fechar suas fronteiras e impor sanções econômicas ao Curdistão.

Internacional