PUBLICIDADE
Topo

Justiça uruguaia rejeita recurso por conter "erros grosseiros de ortografia"

30/09/2017 18h43Atualizada em 30/09/2017 19h07

Montevidéu, 30 set (EFE).- O Tribunal de Apelações de Trabalho do Uruguai rejeitou um recurso apresentado pela Comissão de Apoio da Administração dos Serviços de Saúde do Estado por causa de "erros grosseiros de ortografia" que o texto continha, informou neste sábado a imprensa local.

A petição foi preparada pelo advogado da comissão, Pablo Andrada, e, de acordo com o jornal "El Observador", continha "mais de 100 erros em 11 páginas".

"O texto de apelação apresentado nos autos é absolutamente ininteligível, infestado de erros grosseiros de ortografia, de sintaxe, de digitação, uso excessivo de abreviações, com incoerências absolutas, com uma linguagem inadequada", diz a sentença, datada de 20 de setembro.

Além disso, o documento afirma que o recurso apresentado pelos advogados da instituição uruguaia não se ajustava "à dignidade e respeito que a Justiça merece".

O tribunal aprovou por unanimidade a sentença que obriga a comissão a pagar 342.074 pesos uruguaios (aproximadamente R$ 37 mil) a uma funcionária.

A Justiça já tinha condenado a entidade em primeira instância, mas o organismo recorreu da decisão e agora o Tribunal de Apelações deu uma sentença definitiva.