Governo catalão pedirá ao Parlamento regional que proclame independência

Barcelona (Espanha), 1 out (EFE).- O Governo da Catalunha comunicará nos próximos dias ao Parlamento regional os resultados da votação deste domingo para que aplique o previsto na lei catalã de referendo e proclame a independência caso o "sim" vença a votação.

Em uma declaração institucional, o presidente catalão, Carles Puigdemont, defendeu que a Catalunha ganhou "o direito de ser um Estado independente" após o referendo deste domingo.

A Catalunha ganhou à força sua soberania e as instituições catalãs têm o dever de respeitar e desenvolver o que disseram seus cidadãos para construir um país "livre" e "democrático", argumentou Puigdemont.

Além disso, ressaltou que milhões de pessoas se mobilizaram neste domingo e, apesar das "ameaças" do Estado espanhol, elas têm direito de decidir seu futuro em liberdade, insistiu.

"Queremos viver em paz", e fora de um Estado "incapaz" de propor "algo diferente da força bruta", disse.

Puigdemont denunciou as "violações" de direitos e liberdades e apelou diretamente à União Europeia, que não pode continuar "de olhos fechados" e tem que exercer sua autoridade.

O presidente catalão também se referiu aos mais de 800 feridos, segundo as autoridades da Catalunha, por conta da intervenção da Polícia Nacional e a Guarda Civil para impedir o referendo, que tinha sido suspenso pelo Tribunal Constitucional, assim como a lei catalã de referendo.

Segundo Puigdemont, alguns casos foram "claras violações" dos direitos humanos que não podem ficar impunes, algo que definiu como uma das páginas mais "vergonhosas" da relação do Estado espanhol com a Catalunha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos