Polícia requisita urnas no colégio onde devia votar líder catalão

Girona (Espanha), 1 out (EFE).- A Polícia e a Guarda Civil da Espanha intervieram neste domingo no colégio eleitoral onde estava anunciado que votaria o presidente da região da Catalunha, Carles Puigdemont, no referendo convocado para hoje e que foi suspenso pelo Tribunal Constitucional (TC) do país.

Puigdemont tinha assegurado que iria votar na localidade de Sant Julià de Ramis (Girona) por volta das 4h30 (horário de Brasília), mas antes dessa hora cerca de 50 de agentes tomaram o local - um ginásio de esportes - com o objetivo de requisitar urnas e cédulas de votação.

Mais de uma centena de pessoas que estavam concentradas na parte de fora do ginásio tentaram impedir a entrada dos agentes no colégio, momento em que eles intervieram, causando empurrões e quedas.

Passada a hora prevista para o seu voto, Puigdemont não tinha aparecido no lugar e ainda havia tumulto e gritos das pessoas concentradas contra a Polícia e a favor do referendo.

Depois se soube que Puigdemont tinha decidido não comparecer ao colégio eleitoral de Sant Julià de Ramis e tinha ido para outra localidade próxima.

Através da rede social Twitter se viu a imagem de Puigdemont colocando a cédula em uma urna.

O ministro do Interior espanhol, Juan Ignacio Zoido, destacou que a Polícia está retirando urnas de colégios na Catalunha para cumprir o mandato judicial e a legalidade sobre o referendo, suspenso pelo TC.

Em uma mensagem na sua conta do Twitter o titular de Interior se referiu às atuações dos agentes para garantir a legalidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos