Congressistas democratas pedem controle de armas após tiroteio em Las Vegas

Washington, 2 out (EFE).- Diversos congressistas democratas pediram nesta segunda-feira para que os republicanos deixem de bloquear as leis para o controle de armas nos Estados Unidos após o tiroteio ocorrido no domingo em Las Vegas, o maior da história do país, com pelo menos 58 mortos e 515 feridos.

A líder da minoria democrata na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, enviou uma carta ao presidente da casa, o republicano Paul Ryan, para solicitar a criação de uma comissão sobre a violência com armas de fogo e submeter a votação o projeto de lei "King-Thompson Background Check", apresentado pela primeira vez em 2015 para aumentar o controle sobre este tipo de armamento.

"O comitê bipartidário fará recomendações para evitar atrozes tragédias como o tiroteio em massa em Las Vegas e para restaurar a confiança na segurança das nossas comunidades", informou Pelosi em comunicado.

Também foi contundente a senadora democrata Elizabeth Warren, que ressaltou no Twitter que "tragédias como a de Las Vegas ocorreram muitas vezes" no país.

"Necessitamos ter um debate sobre como frear a violência com armas de fogo, e precisamos agora. Pensamentos e orações não são suficientes. Não quando mais mães e pais enterrarão seus filhos nesta semana e mais filhos e filhas crescerão sem pais", afirmou, em alusão às mensagens dos líderes republicanos, que se limitam a dar o pêsame às vítimas, mas não condenam a violência por arma de fogo.

O presidente americano, Donald Trump, se limitou a falar de "um ato de pura maldade", sem mencionar que foi cometido com uma arma de fogo potente e que o atirador tinha pelo menos outros nove rifles com ele.

Outro dos senadores democratas mais atuantes, o ex-pré-candidato presidencial Bernie Sanders, condenou a inação do Congresso, controlado pelos republicanos, sobre o controle das armas de fogo no país.

"Em meio à terrível tragédia em Las Vegas e aos tiroteios em massa ao longo do país, deveria estar claro para todos que temos que fazer tudo o que pudermos para evitar que as armas caiam nas mãos de pessoas que não deveriam tê-las. Já faz muito tempo que o Congresso tem de agir em matéria de segurança de armas para salvar vidas inocentes", declarou em comunicado.

Em várias mensagens do Twitter, o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, se mostrou "profundamente triste" pelo tiroteio e elogiou os serviços de emergência e as pessoas que ajudaram as vítimas.

Ryan, o líder da maioria republicana no Senado Mitch McConnell, e congressistas como Marco Rubio se limitaram a lamentar o sucedido e expressar condolências às famílias afetadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos