Maduro diz oposição preparava plano para atacar serviços públicos

Caracas, 2 out (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta segunda-feira que "um grupo" da oposição preparava um plano para atacar serviços públicos no país e assegurou que capturaram alguns dos envolvidos.

"Nós capturamos um plano, bem, de um grupo de direita da oposição fascista para atacar serviços públicos fundamentais, como serviço de eletricidade. Eles estão desesperados", disse Maduro, em transmissão pela emissora estatal "VTV".

O mandatário venezuelano afirmou que neste plano estão envolvidos "líderes do mais alto nível da oposição" e que buscavam atacar serviços de eletricidade, gasolina e água.

Ele explicou que os detalhes desta informação serão divulgados nesta terça, pelo vice-presidente Tareck El Aissami; ministro do Interior, Néstor Reverol, e os responsáveis pelo serviço de inteligência, "com provas específicas, concretas".

Este plano supostamente, começou hoje e segundo Maduro faz parte de "uma campanha para gerar inquietação e descontentamento".

O governo de Nicolás Maduro acusa constantemente a oposição de gerar atos de violência no país e desta vez, o presidente venezuelano pediu para a população não seja "inocente", pois a "direita é violenta e fascista".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos