Ministro da Economia do Reino Unido admite divisões em relação ao "Brexit"

Londres, 2 out (EFE).- O ministro da Economia do Reino Unido, Philip Hammond, admitiu nesta segunda-feira que "há diferenças de opinião" no governo sobre como abordar o "Brexit", mas insistiu que ainda assim os ministros estão comprometidos com a postura oficial.

Hammond minimizou a importância das declarações do ministro das Relações Exteriores, Boris Johnson, que em uma entrevista ao jornal "The Sun", publicada no último sábado, voltou a se distanciar das diretrizes da primeira-ministra, Theresa May.

"O que Boris disse são coisas que vem dizendo nos últimos 18 meses, não disse nada que ninguém já não soubesse", declarou Hammond à emissora "Sky News".

"Tivemos um debate no gabinete antes do discurso (de May em Florença) e todo o gabinete endossou essa posição. Essa é a nossa posição", acrescentou.

Johnson defendeu que o período de transição após a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), prevista para 29 de março de 2019, deve durar dois anos "e nem um segundo a mais", entre outras condições que saem do que foi exposto por May em 22 de setembro.

O chanceler britânico é contra o Reino Unido acatar novos regulamentos do bloco aprovados durante o período de transição, que faça mais pagamentos a Bruxelas quando terminar esse prazo de dois anos e que seja obrigado a replicar as leis europeias para manter o acesso ao mercado único.

Em seu discurso em Florença, com o objetivo de fazer avançar a negociação com a UE, May pediu um acordo bilateral especial para o Reino Unido - diferente do de países como Noruega e Canadá - e que permita dois anos de transição, além de se comprometer a cumprir todos os compromissos adquiridos no atual orçamento comunitário.

Debilitada após perder sua maioria absoluta no Parlamento nas eleições de junh, a primeira-ministra falará na quarta-feira no congresso do Partido Conservador, onde enfrenta o desafio de unir seus aliados perante o desafio do "Brexit" e a inédita ascensão do projeto social democrata do Partido Trabalhista de Jeremy Corbyn. EFE

jm/cs

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos