Netanyahu recusa aproximação de Hamas e ANP caso não reconheçam Estado judeu

Jerusalém, 3 out (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, não aceitará a reconciliação entre o Hamas e a Autoridade Nacional da Palestina (ANP) caso não reconheçam "o Estado de Israel e, certamente, o Estado judeu" e enquanto o primeiro mantiver relações com o Irã.

"Israel não aceitará a calma imaginária onde o lado palestino está se reconciliando às custas da nossa existência", declarou Netanyahu em um encontro de integrantes de seu partido, o Likud, com as autoridades do assentamento de Ma'ale Adumim, em Jerusalém Oriental, informou o gabinete do premiê em comunicado.

"Para qualquer um que quiser se reconciliar, a nossa posição é muito simples: deve reconhecer o Estado de Israel, desmantelar o braço armado do Hamas e romper os laços com o Irã, que está convocado à nossa destruição. São coisas muito claras", afirmou.

Netanyahu prometeu às autoridades locais que impulsionará a construção de milhares de moradias em território ocupado.

O ministro da Educação israelense, Naftali Bennett, assegurou que o processo de conversas entre Hamas e ANP "não trata sobre a reconciliação palestina, mas sobre um Abu Mazen (o presidente palestino, Mahmoud Abbas) aproximando-se a uma organização terrorista".

O chefe do governo palestino, Rami Hamdallah, chegou a Gaza na segunda-feira para realizar hoje a primeira reunião ministerial que acontece no território desde dezembro de 2014, após a decisão do Hamas de devolver o poder na Faixa de Gaza à ANP.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos