Schwarzenegger pede que Suprema Corte dos EUA acabe com manipulação eleitoral

Washington, 3 out (EFE).- O ator Arnold Schwarzenegger, governador da Califórnia entre 2003 e 2011, participou nesta terça-feira de uma manifestação diante da Suprema Corte dos Estados Unidos para exigir que o órgão acabe com "a manipulação" dos mapas eleitorais com fins partidários.

"O único que tem o poder de resolver este problema é a Suprema Corte, os que criaram o problema não podem solucioná-lo, eles o criaram e querem se manter no poder", denunciou Schwarzenegger, aclamado por mais de 100 pessoas reunidas diante da Suprema Corte, em Washington.

Os nove juízes do alto tribunal realizaram hoje uma audiência para estudar se traçar mapas eleitorais com o objetivo de beneficiar o Partido Republicano ou o Democrata vai contra a Constituição, um assunto que pode afetar os resultados de futuras eleições legislativas.

O ex-governador republicano subiu em uma plataforma desde a qual podia ver o Congresso dos EUA e se dirigiu diretamente aos congressistas que se beneficiam do chamado "gerrymandering", uma técnica que permite aos estados traçar os distritos eleitorais de modo que favoreçam a vitória de um legislador de um partido determinado.

"Durante décadas, disseram que iriam consertar o sistema migratório, durante décadas disseram que iriam consertar as infraestruturas, durante décadas disseram que iriam encontrar uma solução para o sistema de saúde, durante décadas disseram que iriam diminuir a dívida", carregou Schwarzenegger.

"Falaram - continuou - de todos esses problemas e não conseguiram nada e, ao mesmo tempo, 98% conseguem ser reeleitos. Os senhores sabem que o sistema está combinado, sabem que é um sistema no qual os políticos elegem os eleitores, ao invés dos eleitores elejerem os políticos".

E, assim, aclamado por dezenas de pessoas, Schwarzenegger adaptou às circunstâncias seu célebre "Hasta la vista, Baby". "É hora de dizer, hasta la vista 'gerrymandering', é hora de acabar com o 'gerrymandering'".

A concentração que teve a participação do ex-governador da Califórnia começou às 10h local (11h, em Brasília) e se prolongou durante mais de duas horas.

A audiência de hoje na Suprema Corte, centrada em um caso do estado de Wisconsin, despertou uma grande expectativa porque nunca, até a data, o alto tribunal disse que era inconstitucional manipular os distritos eleitorais para favorecer a vitória de um legislador de um partido determinado.

Os distritos eleitorais mudam sempre que um novo censo é feito, por isso a decisão da Suprema Corte terá um grande impacto nas eleições legislativas que serão realizadas a partir de 2020, momento em que haverá um novo censo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos