Supostos bombardeios de aviões russos deixam oito mortos na Síria

Beirute, 3 out (EFE).- Pelo menos oito pessoas morreram nesta terça-feira, a maioria membros da aliança da ex-filial síria da Al Qaeda, por supostos bombardeios de aviões russos no leste da província de Idlib, controlada quase totalmente por este grupo e outras facções, informaram ativistas.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos apontou que cinco mortos eram combatentes do corpo paramilitar do Organismo de Liberdade do Levante, a coalizão armada do antigo ramo da Al Qaeda, enquanto é desconhecida a identidade dos outros três.

O bombardeio teve como alvo o aeroporto militar de Abu Zuhur, no leste da província e controlado pelas facções.

O Observatório indicou que durante esta manhã supostos aviões russos efetuaram um total de 23 ataques contra áreas do leste de Idlib, dominadas pelo Organismo de Liberdade do Levante e onde também há presença do grupo radical Partido Islâmico Túrquico.

O Ministério de Defesa da Rússia, país aliado do Governo de Damasco, anunciou hoje que os ataques de sua aviação contra posições terroristas na ribeira oriental do Eufrates, na Síria, causaram a morte de mais de 300 jihadistas nos últimos dois dias.

"Durante os últimos dois dias, a aviação russa continuou com os ataques contra combatentes do Estado Islâmico (EI) na ribeira oriental do Eufrates. As baixas confirmadas entre os terroristas são de 304 mortos e mais de 170 feridos", disse o porta-voz do Ministério de Defesa, Igor Konashenkov.

O rio Eufrates atravessa as províncias sírias de Deir ez Zor, Raqqa e Aleppo.

Atualmente os soldados governamentais sírios, apoiados pela força aérea russa, desenvolvem uma ofensiva contra o EI em Deir ez Zor. EFE

ssa/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos