Governo da Espanha acusa presidente da Catalunha de viver "fora da lei"

Madri, 4 out (EFE).- A vice-presidente do governo da Espanha, Soraya Saénz de Santamaría, acusou nesta quarta-feira o presidente da região da Catalunha, Carles Puigdemont, de viver "fora da lei" e afirmou que a maioria dos catalães recebeu como um "bálsamo" a mensagem de ontem do rei Felipe VI diante de "tanta incerteza e tanto desassossego".

Ela respondeu deste modo ao presidente catalão, Carles Puigdemont, poucos minutos depois de ele acusar o rei de ter assumido o discurso e as políticas do governo de Mariano Rajoy e de decepcionar muitas pessoas na Catalunha.

"Cada mensagem do senhor Puigdemont é um novo desassossego, uma nova intranquilidade e uma viagem a parte alguma", lamentou a vice-presidente do governo da Espanha.

"Fora da lei não há democracia, fora da lei não há convivência, fora da lei não há direitos. E o senhor Puigdemont há muito tempo vive fora da lei, fora da realidade, fora da cordura", completou.

Sáenz de Santamaría confessou ter sentido vergonha quando Puigdemont lembrou ao rei de suas obrigações constitucionais. Para ela, a atual situação de tensão entre Espanha e Catalunha só ocorreu exatamente porque o presidente catalão esqueceu as suas obrigações.

"Puigdemont demonstrou que não é só um dirigente que está contra a lei, mas que está absolutamente fora da realidade. Ele levou os catalães à maior fratura, à maior divisão e à maior intranquilidade que tiveram em sua história", disse Sáenz de Santamaría.

Após de acusar o líder regional de ser um político fora da lei, contra as instituições e contra a Europa, a vice-presidente avaliou que a maioria dos catalães recebeu como um "bálsamo" o pronunciamento feito ontem pelo rei Felipe VI.

"Em vez de atender a chamada à moderação, à cordura e à convivência democrática que todos os espanhóis apreciaram ontem na mensagem do Rei, Puigdemont insiste em se afastar cada vez mais da retificação que o mundo todo está pedindo", disse a vice-presidente.

Nesse sentido, Sáenz de Santamaría pediu que o Puigdemont respeite a Espanha e a Catalunha e que tratem as instituições do país e da região com o respeito que elas merecem.

"E que respeite, sobretudo, os catalães, que não merecem nem ver nem viver o que estão vivendo", afirmou.

"A Espanha é uma democracia. Essa não é uma ditadura de pensamento único", disse a vice-presidente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos