Milhares de tailandeses se despedem do rei Bhumibol Adulyadej, morto em 2016

Bangcoc, 5 out (EFE).- Milhares de tailandeses, vestidos de um rigoroso luto, fizeram nesta quinta-feira fila para dar o seu último adeus ao rei Bhumibol Adulyadej, na sala do trono, que a partir desta meia-noite (hora local) fechará suas portas ao público.

Desde o ano passado, pelo menos 10 milhões de pessoas homenagearam Bhumibol, que faleceu aos 88 anos, no dia 13 de outubro de 2016, afirmaram à Agência Efe, fontes do Escritório da Casa Real.

A sala do trono, também chamada de Dusit Maha Prasat, é uma das áreas fechadas ao público no Grande Palácio Real, um dos monumentos mais visitados em Bangcoc.

No próximo dia 26, acontecerá a cremação do monarca, em uma cerimônia solene que incluirá um desfile fúnebre com carroças e milhares de soldados entre o palácio e a praça de Sanam Luang, onde foi construído um grande monumento funerário.

Os rituais começarão um dia antes com uma cerimônia religiosa budista e estenderão até o dia 29.

Em um reflexo da religiosidade eclética tailandesa, os ritos funerários contarão também com elementos simbólicos da tradição hindu.

A cremação permitirá os preparativos para a cerimônia de coroação de Vajiralongkorn, que assumiu o trono em dezembro do ano passado.

O rei Bhumibol Adulyadej, que esteve sete décadas no trono, morreu após uma longa doença que o manteve hospitalizado durante a maior parte dos últimos dez anos de sua vida.

O monarca, que reinou sob o título de Rama IX, foi até a sua morte o único conhecido pela maioria dos tailandeses, que o tinham como um ser quase divino, símbolo de unidade e orientação da nação. EFE

grc/phg

(foto)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos