Sobe para 8 o número de mortos na Costa Rica por conta da tempestade "Nate"

San José, 5 out (EFE).- As autoridades da Costa Rica informaram na quinta-feira que subiu para oito o número de pessoas mortas por causa das chuvas provocada pela tempestade tropical "Nate", enquanto que outras 17 estão desaparecidas e 7 mil estão desabrigadas.

Em seu relatório mais recente, o Organismo de Investigação Judicial (OIJ) confirmou a morte de oito pessoas, entre elas dois nicaraguenses e dois menores de idade.

A última vítima relatada é um jovem de 19 anos, identificado como José Vicente Chacón Aguilar, quem faleceu após um deslizamento de terra em Altos de Naranjo, em Atenas, na Província de Alajuela, no centro da Costa Rica.

As autoridades indicaram que até o momento há 17 pessoas desaparecidas, e que 94 foram resgatadas pelas equipes de socorro.

O presidente da Comissão Nacional de Emergências (CNE), Ivan Brenes, disse em entrevista coletiva que foram registrados 2 mil incidentes por inundações e deslizamentos, e que há um total de 7 mil desabrigados, que estão em 95 abrigos.

A tempestade, um dos piores desastres naturais dos últimos anos na Costa Rica, está deixando em sua passagem comunidades inteiras e comércios inundados, alguns na altura dos telhados, assim como agriculturas, que se somam a quedas de pontes e estradas seriamente afetadas.

O presidente da Costa Rica, Luis Guillermo Solís, decretou o estado de alerta nacional para agilizar a mobilização de recursos com o objetivo de atender as vítimas, e pediu calma à população para que atendam as ordens das autoridades.

"Temos uma saturação extrema dos solos, o que significa que, embora haja menos chuva, ainda pode haver efeitos. Segue o alerta vermelho em três quartos do país e alerta amarelo no Caribe", afirmou Solís, ao dar um novo relatório sobre a situação.

Os relatórios das instituições nacionais indicam que existem 500 mil pessoas sem serviço de água potável, 18,5 mil sem energia elétrica, 215 locais atingidos por deslizamentos de terras, quedas de árvores, danos em pontes, dos quais 44% deles foram atendidos.

"Todas as instituições de primeira resposta realizaram um esforço gigantesco durante todo dia para atender as pessoas. Não é em vão o trabalho que é feito, as instituições são coordenadas e agradecemos a comunidade pelos seus esforços", afirmou o presidente.

As regiões mais afetadas são as províncias de Guanacaste e Puntarenas, ambas no Pacífico, assim como Pérez Zeledón, na província de San José, onde diversas comunidades sofreram sérias inundações.

As aulas estão suspensas em todo o país e o governo liberou do trabalho todos funcionários públicos, com exceção daqueles que devem trabalhar nas equipes de emergência.

A tempestade "Nate" seguirá provocando fortes chuvas na Costa Rica, pelo menos até a manhã de sexta, de acordo aos prognósticos.

As chuvas associadas ao fenômeno natural deixaram pelo menos outros 15 mortos na região, 11 na Nicarágua, 3 em Honduras e 1 no Panamá, além de dez pessoas desaparecidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos